Latifi vence e dispara na liderança da F2. Sérgio abandona com pane elétrica.

Latifi vence e dispara na liderança da F2. Sérgio abandona com pane elétrica.

Livio Oricchio, de Barcelona

Não foi, com certeza, o início de fim de semana que Sérgio Sette Câmara havia planejado. Neste sábado, no Circuito da Catalunha, o piloto mineiro de 20 anos, patrocinado pela Youse, teve de abandonar a primeira corrida do GP da Espanha de F2, terceira etapa do campeonato. E contra também sua pretensão de ser campeão, o companheiro de equipe na DAMS, o canadense Nicholas Latifi, já líder da competição antes do evento em Barcelona, venceu a prova.

Outro concorrente ao título, o britânico/coreano Jack Aitken, da Campos, recebeu a bandeirada em segundo lugar, com o chinês Guanyu Zhou, da UNI-Virtuosi, completando o pódio, em terceiro.

Como não marcou pontos, em razão de um problema elétrico, Sérgio viu seus adversários se distanciarem na classificação. Latifi, por exemplo, já atingiu 87 pontos, decorrentes das vitórias na corrida do sábado na etapa de abertura da F2, no Barein, a de domingo, no Azerbaijão, e a deste sábado na pista catalã.

Aitken já está longe também, com 61 pontos. Sérgio ficou com os 33 pontos decorrentes dos dois pódios no Circuito de Sakhir, no Barein, e o sexto lugar na segunda prova de Baku.

Saiba+: 25 anos sem Senna: os detalhes sobre o fim de semana do acidente
Saiba+: 25 anos sem Senna: acidente revolucionou a forma como se pensa em segurança na F1

No fim da corrida, o engenheiro de Sérgio, o francês Damien Augier, decidiu liberar o piloto para as voltas finais da corrida a fim de verificar se o reparo no sistema elétrico, realizado enquanto a competição se desenvolvia, foi efetuado com perfeição, visando a prova deste domingo.

A F2 tem sempre duas corridas, uma no sábado e outra no domingo. Ao que parece a pane elétrica foi reparada, a ponto de Sérgio estabelecer voltas até mais rápidas que os líderes, por dispor de pneus em melhores condições.

A corrida desde domingo começa às 6h30, horário de Brasília. Serão 26 voltas, em vez das 37 deste sábado, ou 45 minutos de duração máxima. Como não completou 90% da corrida, Sérgio não se classificou. Vai largar lá atrás, na nona fila, em 18º.

O seu companheiro na DAMS e cada vez mais líder do campeonato ocupará a oitava posição no grid, por conta do critério de grid invertido entre os oito primeiros.

Sérgio: “Nada, absolutamente nada deu certo”.

Em seguida à decepção deste sábado, Sérgio deu o depoimento abaixo exclusivo para a Youse:

Olá amigos.

Vocês leem aqui toda hora eu descrevendo a necessidade de não me deixar abater diante de resultados opostos aos possíveis. E reafirmo o que penso e a história do automobilismo ensina. Mas quer saber de uma coisa? Não é fácil.

Comecei a corrida em sétimo, no grid, acredito ter feito o procedimento de largada correto, mas minhas rodas ficaram patinando enquanto meus adversários me passavam. Quando chegamos no fim da reta, na freada da curva 1, o histórico de quem está por fora se dá mal me fez permanecer por dentro. É comum quem está por fora receber as sobras dos choques no interior da curva.

Pois desta vez todos passaram sem bater na curva 1 e com isso eu, que estava por dentro, com vários carros na minha frente, tornei-me muito lento, não havia para onde ir. Resultado, ainda mais gente me passou por fora. No fim da primeira volta eu era o 14º e num circuito onde as ultrapassagens não são fáceis.

Dentro do carro comecei a pensar que teria outro fim de semana difícil, como o de Baku, há duas semanas, quando o Lucas Ghiotto, no sábado, bateu na minha traseira lançando-me no muro e eu perdi grande chance de terminar em terceiro.

Para piorar, meu carro começou a perder muita performance, alguma coisa estava errada. Tive de ir para os boxes. Nesse momento compreendi que não somaria pontos de novo. E, incrivelmente, não por minha responsabilidade. Ok, talvez desse para ter sido um pouco melhor na definição do grid, mas na largada e depois diante da pane elétrica eu não tinha o que fazer.

O Nicholas mostrou com o outro carro da DAMS como poderia aqui ter chegado ao pódio se minha largada fosse normal e sem o problema elétrico.
A essa altura, se você começa a fazer muita conta, ver o quanto o líder do campeonato já abriu de você, é ruim. Você sabe que há uma importante diferença e que você tem de encontrar formas de reagir de imediato. É o que farei.

Vou dormir chateado, hoje, mas tenho de chegar no circuito, amanhã, confiante de que, com o veloz carro que dispomos, posso ainda marcar pontos, receber a bandeirada entre os oito primeiros, diminuir o impacto de mais um fim de semana com resultados bem aquém do possível. Abraços.

….

Para saber mais sobre a F2 e Sérgio Sette, clique aqui e acompanhe a cobertura Youse!