Sérgio Sette Câmara e a DAMS começam a mostrar sua força

Sérgio Sette Câmara e a DAMS começam a mostrar sua força

Faltava cerca de meia hora para o fim da sessão da tarde, 16h45, nesta terça-feira no Circuito da Catalunha, quando vários pilotos deixaram os boxes com pneus macios para registrar seus tempos. Pode não ter sido uma simulação completa de classificação, a fim de não expor aos adversários os seus limites, mas as marcas não deixam dúvida de que não estavam muito longe deles.

A Pirelli distribuiu em Barcelona oito jogos de pneus para cada piloto. Seis são do tipo médio e dois do macio.

O holandês Nyck de Vries, 24 anos, piloto da Academia McLaren, foi o mais veloz, a exemplo do que fez com frequência nos treinos realizados na semana passada, em Jerez de la Frontera, também na Espanha. Vries herdou o Mecachrome-Dallara da equipe ART pilotado em 2018 pelo campeão da F2, o inglês George Russell, 21 anos, agora na Williams.

Nesta terça-feira Vries fez à tarde 1min28s655 (37 voltas), já se aproximando da tempo da pole da F2 no GP da Espanha do ano passado, estabelecida pelo tailandês Alexander Albon, da DAMS, com 1min28s142. Albon, terceiro no campeonato de 2018, compete agora pela Toro Rosso-Honda.

VEJA+: Treinos da F2: Cinco pilotos surgem como principais candidatos ao título

A boa notícia para os brasileiros é que Sérgio Sette Câmara, da DAMS, também simulou a definição do grid na mesma hora de Vries, à tarde, e ficou com o segundo tempo, 1min28s772, ou 117 milésimos apenas mas lento. No treinamento de Jerez, a DAMS concentrou mais seu trabalho na simulação de corrida, como também o fez nesta terça-feira até quase o fim da sessão da tarde.

Sem usar pneus macios de manhã, por exemplo, Sérgio ficou com o nono tempo, 1min29s555 (20), ao passo que Vries de novo foi o mais rápido, 1min28s821 (18). 

“A equipe decidiu verificar o nosso potencial. Parte dos adversários também. Fiquei contente com o comportamento do carro equipado com pneus macios e menos combustível, mas temos onde melhorar. O mesmo vale para o acerto de corrida. Faltando dois dias para o fim dos testes, diria que definimos boas bases para as duas condições“, afirmou Sérgio.

Para se ter uma ideia quanto cada décimo de segundo está representando nos 4.655 metros da pista catalã, entre a marca da manhã de Vries, 1min28s821, e a 15ª do britânico Callum Loott, da Sauber Junior, ex-Charouz, da República Tcheca, 1min29s796 (15), há apenas 975 milésimos de segundo, ou menos de um segundo.

Conforme as previsões

A pré-temporada da F2 vem confirmando a impressão geral de seus profissionais quanto aos pilotos com mais chances de lutar pelo título nas 24 corridas das 12 etapas do campeonato. Vries, no terceiro ano na F2, ex-Prema, tem agora na ART grande chance de ser um dos protagonistas do evento. Sérgio, da mesma forma no terceiro ano, é outro, ao deixar a Carlin para competir pela francesa DAMS.

Outro candidato é o italiano Luca Ghiotto, 23 anos, da UNI Virtuosi, ex-Russian Time, no quarto ano. Era da Campos. Nesta quinta-feira ficou em segundo, de manhã, com 1min28s869 (16) e quinto à tarde, 1min28s993 (33). O alemão Mick Schumacher, 19 anos, estreante, da Prema, segue atraindo a atenção do público e da imprensa. É filho de Michael Schumacher. Em 2018 foi campeão da F3 europeia.

VEJA+: Guia da F2: pilotos, equipes e datas das corridas de 2019

Neste primeiro dia de testes da segunda série da pré-temporada da F2, Mick se concentrou, de manhã, exclusivamente em simular corrida. Completou 30 voltas, mas acelerou para valer apenas em parte do traçado. Em uma volta buscava o limite, para sua condição, no segmento 1, da linha de chegada até a freada da curva 4. Na outra, no segmento 2, da curva 4 à freada da curva 10. E na seguinte, da curva 10 até a linha de chegada.

O seu companheiro na Prema, o indonésio Sean Gelael, 23 anos, no terceiro ano na F2, cumpriu a mesma programação, em 32 voltas.

Já à tarde ambos aceleraram seu carro durante a volta toda. Mick obteve o quarto tempo, 1min28s886 (29) e Gelael, o sétimo, 1min29s180 (28).

O companheiro de Sérgio na DAMS, o canadense Nicholas Latifi, 23 anos, em seu quarto ano na F2 e na mesma escuderia, não simulou a classificação à tarde, como Vries, Sérgio, Ghiotto e Mick, dentre outros. Assim, sem colocar pneus novos e ter no carro mais gasolina, registrou somente 1min35s290 (36) o 19º tempo. De manhã, procurou se rápido e terminou em sexto, 1min29s343 (30).

VEJA+: O que é a superlicença, tão desejada pelos pilotos, em especial na F2?

O suíço Louis Deletraz, 21 anos, da Carlin, time do vice-campeão em 2018, Lando Norris, hoje na McLaren, na terceira temporada na F2, é bem cotado também para disputar uma bom campeonato. No primeiro contato com a nova equipe, em Jerez, não apareceu dentre os mais rápidos. Em 2018 competiu pela Charouz, agora Sauber Júnior. Mas neste primeiro dia dos treinos em Barcelona Deletraz andou bem melhor. Na sessão da manhã ficou em terceiro, 1min28s875 (31), e à tarde, também trabalhando apenas na simulação de corrida, em 17º, com 1min34s850 (43).

O filho do ex-piloto de F1 Jean Alesi, o francês Giuliano Alesi, 19 anos, integrante da Academia da Ferrari, estreia este ano na F2. Correrá pela mesma escuderia italiana Trident com que disputou a GP3, no ano passado, e ficou em sétimo. Nesta quinta-feira, Giuliano fez o oitavo tempo de manhã, 1min29s492 (23) e o 14º à tarde, 1min30s169 (34).

Treinamento bem diversificado

As dez equipes da F2 procuram treinar seus pilotos para as mais distintas condições do fim de semana de GP da competição. Isso porque na sexta-feira eles disputam a classificação para uma corrida, no sábado, com pit stop obrigatório, e a ordem dos oitos primeiros nessa corrida é invertida para formar o grid da segunda, mais curto e sem pit stop.

É preciso tentar habituar os pilotos a cada uma dessas condições, como saber administrar os pneus durante os cerca de 45 minutos da prova no domingo. Ou entender o que é liderar uma corrida se o piloto terminar em oitavo no sábado. Os que já competiram na F2 são familiarizados, mas há sempre estreantes, como Mick Schumacher.

O período de treinamento da F2 é muito curto, três dias na primeira série da pré-temporada e mais três na segunda. Isso quer dizer que os 20 pilotos terão apenas esta quarta-feira e a quinta-feira para entender melhor os seus desafios antes da etapa de abertura do campeonato. A primeira prova será de 29 a 31 de março no Circuito de Sakhir, no Barein, no mesmo fim de semana da segunda etapa do mundial de F1.

Os carros da F2 voltam à pista nesta quarta-feira a partir das 9 horas de Barcelona, 5 horas em Brasília.

VEJA+: Como ser piloto de Fórmula 1? Conheça as academias de formação

….

Ei, você já conhece o seguros Youse? Para saber mais sobre a patrocinadora de Sérgio Sette, é só clicar aqui!